quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

O Apanhador no Campo de Centeio

Um garoto rebelde de quinze anos, expulso do colégio, e que odeia tudo que o cerca. Por vezes prepotente, achando-se superior a todos que encontra, e logo em seguida dócil com os pensamentos familiares e com uma paixão confusa. Estou falando de um clássico norte americano: O apanhador no campo de centeio. Um livro tranquilo de ler, pequeno e que se mostra uma leitura agradável, mas na minha sincera opinião, e humilde opinião, não tem nenhuma história fenomenal... quero dizer que não tem nenhuma história mirabolante e nenhum enredo de ponta, apesar de ser bastante agradável. O título é uma metáfora à sua inocência e seu espírito juvenil perdido, que não irei explicá-lo aqui para não estragar tudo.O personagem Holden Caulfield é um rebelde sem causa, mas o livro é cativante, e é aí que se torna um mistério para mim; eu adorei ler. O livro marcou sua época por explorar a consciência perturbada de um jovem onde todos poderiam se identificar com o personagem principal. O livro se passa em pouco mais de um dia da vida de Caulfield. Escrito por volta dos anos 1945-46, é sempre lembrado e citado em filmes de hollywood que acabam por te intrigar e te fazer ir atrás para saber o motivo de tanta euforia na literatura de Salinger. Eu fui uma vítima dessa propaganda, embora, não se trate de um livro ruim. O apanhador no campo de centeio me marcou sem eu saber exatamente o por quê. E acredito que tenha me influenciado bastante na minha forma de escrever também. Se trata, no final das contas, de um livro despretensioso que deu muito certo.
Há algo misterioso nesse livro. Ele me prendeu de tal maneira que eu carregava comigo pra cima e pra baixo o tempo todo. Lia devagar, apreciando cada palavra e absorvendo a narrativa. A simplicidade por ser contado todo ele em primeira pessoa não é o bastante para explicar tamanho mistério. Quando eu falo desse livo eu entro em conflito, pois eu adoro e odeio ao mesmo tempo. E não sei explicar. O livro é sem muita volta, contém vícios de linguagens dos personagens que acabam te cativando. Mas há algo que vai muito além disso. Apanhador no Campo de Centeio foi incluído na lista dos 100 melhores livros da língua inglesa do século 20. Tem sido frenquentemente censurado nos Estados Unidos e em outros países pelo uso liberal de palavras de baixo calão e retrato de sexualidade e dilemas adolescentes. Também lida com questões complexas de identidade, pertencimento, conexão e alienação.
O que chama bastante a atenção nesse livro é sua influência externa em momentos marcantes da história como por exemplo:
  • O assassino de John Lennon, Mark David Chapman, carregava este livro consigo no dia em que cometeu o crime. Segundo testemunho do próprio Chapman, estava lendo o "Apanhador no Campo de Centeios", minutos antes de tentar o suicídio e da obra teria tirado inspiração para matar John. Outro fato curioso é que o atirador que tentou matar Ronald Reagan em 30 de abril de 1981, afirmou a mesma coisa, ou seja, que teria tirado do livro a inspiração para matar o presidente Reagan. No filme "Teoria da Conspiração ", Mel Gibson faz o papel de um motorista de taxi psicótico, que acha que todos estão contra ele, ele possui uma compulsão, comprar diariamente um mesmo livro, "o Apanhador no Campo de Centeio", em sua casa existem milhares de exemplares dessa obra, por conta de uma dessas compras ele é descoberto por seus inimigos e quase acaba morto.
  • A banda punk-rock californiana Green Day gravou em 1991, no seu segundo álbum intitulado Kerplunk! a música Who Wrote Holden Caulfield?, baseada no livro. O vocalista, guitarrista e compositor Billie Joe Armstrong compôs a letra baseada no livro pois para ele, Holden Caulfield, o personagem principal, era como ele, um cara rebelde, largado e "invisível". Billie teve que ler esse livro durante o colegial, mas acabou não lendo. Tempos depois, ele resolveu ler e acabou tornando um dos seus livros favoritos.
  • O desenho South Park teve o episódio "A Historia de Scrootie Sodomita" baseado na obra
Eu poderia colocar a sinopse aqui, mas estragaria qualquer pretensão de alguém querer ler. Apesar de esperar mais do livro, ainda assim é uma ótima leitura. Recomendo.

Peguei algumas referências da wikipedia.